kim walachai produtora de conteudo

Customer Success: Atividades e Principais Implicações

O Customer Success tem como objetivo assegurar que os clientes de uma determinada empresa terão uma boa experiência em seus negócios.

Embora os conceitos de sucesso do cliente (Customer Success) e experiência do cliente sejam antigos, foi há relativamente pouco tempo que cada um deles passou a contar com metas, atividades, orçamento e até um número de funcionários exclusivamente dedicados à função.

Os clientes de todas as empresas passam por uma “jornada” que descreve seu progresso no processo de trabalho com seu fornecedor.

Em suma, essa jornada do cliente geralmente é dividida em vários estágios, como por exemplo, conscientização, consideração, seleção e retenção.

Em princípio, um cliente típico passará por esses estágios, do começo ao fim, à medida que progridem no relacionamento com o fornecedor.

Nesse sentido, a cada estágio dessa jornada, o cliente interage com o fornecedor e, essas interações são frequentemente chamadas de pontos de contato.

Portanto, o Customer Success é um gerenciamento focado no relacionamento da empresa com o cliente. Em síntese, é preciso alinhar as metas do cliente com as metas estabelecidas pela empresa, a fim de que ambos sejam mutuamente beneficiados.

Leia também: “Benchmarking: O que é e como aplicar em seu negócio”

kim walachai produtora de conteudo

Customer Success | Fatores Importantes de suas Atividades

Em cada ponto de contato, o cliente pode passar por uma experiência positiva, negativa ou neutra.

Por exemplo, ele pode achar o vendedor, particularmente, útil e receptivo durante o estágio de Consideração – ou seja, pode considerar essa etapa uma experiência positiva.

Mas, eventualmente, o cliente pode achar as instalações de suporte de autoatendimento complicadas e demoradas para usar durante o estágio de Retenção – como resultado disso, irá considerar essa, como sendo uma experiência negativa.

À medida que o cliente encontra esses diferentes pontos de contato, ele “aumenta sua experiência geral” de ser um cliente desse fornecedor.

Em última análise, o que podemos dizer é que o total de todos esses encontros são a jornada completa do cliente.

Nesse hiato, é a materialização do caminho pelo qual ele passa e que, por sua vez, informa a experiência geral que esse cliente terá ao longo de suas negociações com o fornecedor.

Experiência do cliente como uma função horizontal

O Gerenciamento da Experiência do Cliente é, por definição, o processo capaz de “medir, analisar e (o mais importante) melhorar” essa experiência.

Como a jornada do cliente é tão longa que cobre tantas funções comerciais diferentes dentro da empresa do fornecedor, o papel do “ Customer Success ” é essencial.

Esse profissional é efetivamente responsável por melhorar todos os aspectos da jornada do usuário, desde a primeira vez em que ele toma conhecimento do nome da marca, até o o fechamento da compra.

A função do Customer Success e de seu departamento, pode ser descrita como “horizontal” e “de suporte”, no sentido de cruzar várias funções corporativas, como P&D, marketing, vendas, etc., e desempenhar um papel de apoio a essas funções, ainda que não estejam diretamente relacionadas com o atendimento ao cliente,

Por fim, podemos dizer que profissional de Customer Success, por vezes, é tido como “o advogado dos clientes”. Afinal, eles estão lá para representar os interesses do cliente e para ajudar todas as funções “verticais” a se tornarem mais amigáveis.

A satisfação do cliente é essencial para o crescimento de qualquer negócio

Não importa quão grande seja sua equipe de vendas, poucas empresas podem crescer de maneira significativa ou sustentável, confiando simplesmente na prospecção de novos clientes.

Ou seja, é fundamental nutrir o bom relacionamento com os “velhos consumidores”.

Pois, para que o crescimento ocorra, quase todas as empresas precisam repetir negócios com sua atual cartela de clientes. Portanto, é necessário que haja renovações.

Em linhas gerais, toda empresa precisa considerar as oportunidades de upsell e vendas cruzadas com clientes já cadastrados em sua base de dados.

Conclusão

O papel do Customer Success é maximizar o valor que os clientes percebem, tanto dos produtos, como dos serviços adquiridos em sua empresa.

Talvez, essa seja sua principal tarefa, sobretudo, considerando que esse é um aspecto crítico nos empreendimentos modernos. Afinal, é para isso que existe a concorrência, não é mesmo?

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário, pois ele é muito importante para nós.

kim walachai produtora de conteudo

Isolamento Social: 7 Aprendizados Para Carreira

O isolamento social traz diversos malefícios à sociedade, no entanto, é possível avaliar o quadro por uma perspectiva inovadora e otimista. Confira!

A ideia de isolar-se dos demais nunca foi tão assustadora. Afinal, viver em sociedade nos enche de possibilidades.

Contudo, devido ao COVID-19, o isolamento social no Brasil está em andamento desde meados de março e, em menos de um mês os efeitos negativos já começaram a aparecer, sobretudo, no mundo dos negócios.

O medo das empresas e dos colaboradores está evidente, pois o baque na economia não será pequeno.

Todavia, usar o isolamento social como forma de aprendizado, é uma maneira positiva de ver as coisas e que, realmente pode trazer muitos resultados, principalmente para quem deseja aprimorar sua carreira profissional.

Leia também: “Marketing Pessoal: Dicas e Exemplos”

7 Aprendizados Para Sua Carreira Profissional

Confira a seguir, 7 aprendizados para sua vida profissional em época de isolamento social:

#1 – Veja o Isolamento Social como Oportunidade para Evoluir

Ainda que o isolamento social não seja fácil para ninguém, há pessoas e negócios que estão se saindo bem.

Nesse momento, é preciso manter o foco nas oportunidades que o isolamento pode proporcionar. Portanto, crie uma solução para aumentar as vendas, ou mesmo, para aprimorar seus conhecimentos.

Como por exemplo, faça cursos online para fortalecer o seu currículo, aprimore o inglês, estude ferramentas de gestão e outras coisas do gênero.

#2 – Avalie seu Desempenho Individual

Muitas vezes trabalhamos em equipe no nosso dia-a-dia. E mesmo que não seja de forma direta, a comunicação entre os funcionários ajuda o trabalho a fluir mais.

As “conversas de corredor” podem ser muito úteis e, de fato, resolver diversos problemas.

Mas, e quando estamos sozinhos e não podemos recorrer de forma rápida às outras pessoas?

Você tem a capacidade de lidar com suas próprias tarefas e resolvê-las?

Sabe buscar meios para solucionar os desafios?

O isolamento social pode ajudar a desenvolver mais independência. Pratique a autoavaliação, através da observação!

#3 – Use o Isolamento Social para Aprender a se Comunicar Melhor

A comunicação fica mais difícil quando o trabalho é feito em casa. E por isso, é fundamental entender que a falta de comunicação pode gerar vários problemas.

O aprendizado, aqui, é entender que tudo deve ser muito bem detalhado. Utilize ferramentas que te ajudem a estabelecer uma comunicação direta e eficiente com seus colegas de equipe, colaboradores, familiares e amigos.

#4 – Trabalhe o Foco no Home Office

Quem tem foco no Home Office, tem tudo!

Trabalhar em casa é realmente algo difícil, pois existem muitas distrações nesse ambiente.

Mas, é totalmente possível aprender a manter o foco no trabalho home office, que por sua vez, poderá potencializar essa habilidade, quando você tiver que voltar a sua rotina de trabalho no escritório.

Dicas para melhorar o foco no trabalho em casa:

  • Buscar um ambiente silencioso;
  • Trabalhar em um quarto iluminado;
  • Não ter distrações visuais;
  • Manter um copo de água sempre do lado;
  • Se possível, deixar o celular em outro cômodo.

#5 –  O meio Digital têm muito a Oferecer durante o Isolamento Social

Quando o assunto é aprendizado em isolamento social, é impossível não citar o quanto o meio digital se faz essencial. E ele pode ser explorado de diversas maneiras.

Para quem busca novas oportunidades durante a recessão, usar a internet como ferramenta de marketing é uma grande estratégia!

As pessoas não podem sair de casa e, as compras realizadas pela internet aumentam consideravelmente. Se você for dono do próprio negócio e, se sua empresa tem a possibilidade de oferecer produtos online, então o fluxo de vendas poderá continuar.

Entretanto, se você for um profissional em busca de renda extra, por exemplo, utilize plataformas freelances para oferecer serviços online, como atendimento, suporte e etc.

Investir em marketing digital nesse momento é a garantia de que as pessoas irão encontrar você e/ou o seu produto e serviço. Portanto, quanto maior a visibilidade, maiores são as chances de vendas!

#6 – Aprenda a Gerenciar sua vida e seu Negócio

Gestão é essencial em qualquer tipo de situação.

Seja você um profissional à procura de aprimoramento, ou um empreendedor que deseja ver seu negócio decolar, saiba que não há como fugir dessa realidade.

Somente mantendo ‘a vida organizada’ será possível garantir o bom andamento das atividades diárias.

Para te ajudar nesse quesito, deixo aqui o nosso artigo sobre Gerenciamento de Equipe, que por sua vez, apresenta dicas incríveis que valem para a vida pessoal e profissional.

#7 – Durante o Isolamento Social Explore sua Criatividade

E por último, seja um profissional criativo!

Há muitas maneiras de potencializar sua criatividade, no entanto, é preciso se esforçar para desenvolver seu processo criativo em meio à uma pandemia!

Estimule seu cérebro, observando pessoas e situações (ainda que virtualmente). Faça uma análise detalhada do que poderá ser aprimorado em sua carreira, após à crise.

Além disso, inove nos processos! Ainda que você tenha que realizar as mesmas tarefas diariamente, inverta as ordens, mude as coisas de lugar e faça com que o isolamento social se torne algo prazeroso (ainda que por um curto período de tempo).

Fique em Casa!

Lembre-se de clicar em um desses botões que ficam aqui embaixo para compartilhar esse conteúdo com aquele amigo que já não sabe o que fazer para se animar durante a quarentena.

kim walachai produtora de conteudo

Benchmarking: O que é e como aplicar em seu negócio

Benchmarking é uma análise estratégica adotada por empresas dos mais variados segmentos, cujo objetivo é aprimorar seus processos, visando resultados expressivos em seus negócios.

Em suma, o Benchmarking consiste em adotar uma prática existente na própria empresa, disseminando-a para outros setores ou unidades; ou ainda, em outra empresa, seja ela concorrente direta, indireta ou mesmo sem que haja qualquer relação competitiva entre as duas.

Certamente é uma prática comum entre empresas que monitoram seus principais concorrentes. Onde, o principal propósito é identificar o que eles têm de melhor; quais são seus diferenciais e, o que fazem para obter a preferência do consumidor.

Contudo, não se trata, nesse caso, de uma imitação pura e simples.

Conhecer as melhores práticas da concorrência é uma forma de estabelecer bases para superá-las.

Em alguns casos, indústrias de tecnologia adotam essa prática como verdadeiro paradigma estratégico, chegando a fazer uso da espionagem industrial.

Leia também: “Marketing Pessoal: Dicas e Exemplos”

Paradigmas para adoção da prática do Benchmarking

Todavia, o processo não é tão simples quanto parece!

Benchmarking pode representar mudanças mais agudas que, eventualmente, podem mexer com a cultura de uma empresa.

Além disso, identificar práticas que possam contribuir para a melhora de performance de um negócio, é um esforço que requer, primeiramente, um modelo de gestão que seja capaz de mapear os pontos fortes e fracos da própria empresa, assim como seus processos internos.

É importante que os gestores tenham uma visão holística do negócio, que contemple variáveis internas e externas, que podem ser um entrave, inexistente em outras empresas, para a adoção de determinadas práticas.

Por exemplo, se um concorrente lançou uma linha de produtos para um determinado nicho e obteve sucesso. Isso quer dizer que, você obterá o mesmo sucesso criando uma linha de produtos similar?

Não necessariamente!

É preciso saber se sua empresa possui os recursos para a produção desse produto. É preciso, também, conhecer a estratégia envolvendo o produto concorrente, o que inclui posicionamento, cadeia de fornecedores, custo de produção, padrões de comportamento daquele nicho, a comunicação etc.

kim walachai produtora de conteudo

Como aplicar o Benchmarking em seu negócio?

Nada disso inviabiliza o Benchmarking ou o torna menos recomendável.

Atentar para o processo que leva à realização de um bom Benchmarking, é a única forma de acertar no alvo e obter ganhos de performance.

Depois de identificar quais são os seus problemas e as metas a serem atingidas, o passo seguinte é procurar saber como seus principais concorrentes e outras empresas fazem para lidar com demandas semelhantes.

Observação, estabelecimento de parcerias, inclusive com concorrentes, e pesquisas de mercado, são algumas formas de obter informações estratégicas sobre os concorrentes.

O Benchmarking deve fazer parte de um conjunto de opções, que envolva novas tecnologias – inovação de projetos ou até mesmo, aquisições.  Tudo depende do tamanho do negócio e do problema a ser resolvido.

É preciso, também, como já observado, que a empresa saiba estimar o impacto de mudanças trazidas pelo Benchmarking. Dessa forma, as descobertas poderão ser utilizadas com maior assertividade.

Benefícios dessa prática:

  • Melhorias visíveis na organização da empresa;
  • Otimização e redução de custo em processos;
  • Aumento da produtividade da equipe;
  • Melhora na percepção de valor da marca por parte de seus clientes;
  • Aumento da competitividade e superação da concorrência.

Portanto, se inspirar em grandes concorrentes e desenvolver uma rotina que funcione dentro do seu negócio, pode alavancar seus resultados e fazer com que sua marca se torne uma referência no segmento!

Esse conteúdo te ajudou de alguma forma? Compartilhe com os amigos do Facebook e LinkedIn.

Além disso, deixe seu comentário pra gente saber se você está gostando desse tipo de assunto!

Muito sucesso e até a próxima!

kim walachai produtora de conteudo

O que é Procrastinar? Como se livrar deste hábito?

Procrastinar é o adiamento de uma tarefa, ou ainda, de uma ação. Como resultado, muita coisa fica acumulada, nos estressamos, nos sentimos culpados, perdemos a produtividade…

Sabe aquela louça suja na pia que você deixa para lavar depois? Pois é. Daqui a pouco, vem mais louça e você pensa: “ah, depois eu lavo”.

No final do dia, a pia está transbordando de louça suja e você está cansada(o) demais para encarar a verdadeira guerra civil que é ter que lavar tudo aquilo.

Já parou para pensar, ou vivenciou, o que é o dia seguinte quando você acorda? No início era um copo, um prato, um garfo, uma colher e uma panela. Agora é uma montanha de louça suja desafiando você para uma exaustiva batalha.

Pois acabamos de ver um exemplo de procrastinação e suas consequências.

O que é procrastinar? [Definição]

Portanto, procrastinar é o adiamento de uma tarefa, ou ainda, de uma ação.

Como resultado, muita coisa fica acumulada, nos estressamos, nos sentimos culpados, perdemos a produtividade e, por fim, ainda acabamos sentindo vergonha por não cumprir com nossas próprias responsabilidades e compromissos.

Você também vai gostar de ler: “Como Aumentar minha Produtividade? Truques para Manter a Vida Organizada”

O que fazer para se livrar desse hábito?

Procrastinar é muito ruim porque desorganiza sua vida.

Então, chegou a hora de se livrar desse hábito, pois uma vida desorganizada traz malefícios até mesmo, à saúde, principalmente no aspecto mental, que irradia para o lado físico, provocando fadiga e outros problemas relacionados ao estresse.

Anote aí o que fazer para parar de procrastinar:

#1 – Programe sua rotina

A melhor forma de não deixar nada para depois é programar nosso dia.

Você sabe o que tem que fazer e de quanto tempo necessita para realizar cada tarefa? Ótimo. Ordene as tarefas ao longo do dia.

Você tem tarefas que se repetem diariamente. Portanto, basta ordená-las dentro de sua programação.

Para facilitar a vida, utilize um cronograma diário.

Há outras tarefas que são casuais, como ir ao dentista, preencher a guia do Imposto de Renda e levar o carro para lavar. Essas últimas, você encaixa no tempo que sobrou em sua programação.

Você vai ver como sua rotina vai ficar organizada e tudo vai melhorar. Em função desses hábitos simples, você se sentirá mais confiante e terá um aumento em sua disposição.

#2 – Tenha disciplina

De nada adianta você programar sua rotina e não cumprir o programado.

Para isso, é preciso ter foco e muita força de vontade!

Conserve a disciplina! Cumpra os horários e faça as tarefas que estão programadas. Sua mente vai acabar se adaptando a essa conduta e logo tudo se tornará ainda mais fácil.

#3 – Recompense-se

Nosso cérebro adora recompensas. Diga a ele como você será recompensado se fizer tudo como manda o figurino.

Isso significa dizer que, a sua programação deve incluir uma boa fatia de tempo para fazer coisas que lhe proporcionem prazer e satisfação.

Você não pode pensar no lazer como coisa que só existe no fim de semana. É preciso que todos os dias você se recompense pelos seus esforços.

Lembre-se que a vida é para ser vivida, independente do tempo que você leva para trabalhar em suas obrigações.

#4 – Organize-se e jogue fora o que é desnecessário

Pense em quantas coisas você guarda que não servem para nada. Estamos falando tanto de objetos quanto de pensamentos e memórias inúteis.

Foque no que é importante e jogue o que é supérfluo fora!

No campo da mente, se livre de crenças, pensamentos e memórias que só servem para causar confusão e desconforto mental.

No campo dos objetos, faça uma limpeza no armário e livre-se do que está só ocupando espaço. Assim você não terá tanta dificuldade em organizar o que sobrou. Além disso, vai parar de perder tempo procurando por coisas que antes, estavam mergulhadas na gaveta.

#5 – Estabeleça limites para as redes sociais

As redes sociais viciam, mas o pior é que a maior parte do tempo que passamos nelas é, fazendo atividades que por vezes, em nada nos agrega.

É claro que jogar conversa fora e dar algumas risadas faz parte da vida e é salutar, mas, é fundamental que você estabeleça limites.

Tenha também um horário livre para elas. Fora desse horário, esqueça o celular.

Livre-se dos ladrões de tempo!

Adote essas dicas em sua vida e você verá como a procrastinação sairá de cena. Sua vida vai mudar, e muito, para melhor!

Leia também: “Poder de Persuasão: A arte de convencer qualquer pessoa”

E aí, o que você tem feito para parar de procrastinar?

Deixe seu comentário e compartilhe esse conteúdo com os amigos!

kim walachai produtora de conteudo

Marketing Pessoal: Dicas e Exemplos

A melhor forma de começarmos a falar de Marketing Pessoal é definindo o que é Marketing, que por sua vez, é uma disciplina estratégica de negócios, cujo propósito é aproximar pessoas de empresas, marcas e produtos, com a finalidade de criar condições para que ocorram transações comerciais satisfatórias para ambas as partes.

Sendo assim, o Marketing é um processo ativo da criação e desenvolvimento de produtos, assim como estabelece os caminhos para que esses últimos, sejam adequadamente comunicados e entregues ao consumidor.

Você também pode gostar de ler: “Mulheres Empreendedoras: Histórias que inspiram”

Conceito e exemplos de Marketing Pessoal

Como transferir esse conceito para o Marketing Pessoal?

Tendo como base, a definição primária de Marketing, pode-se dizer que Marketing Pessoal é uma visão de nós mesmos como produto, porém com um objetivo a ser alcançado: a famosa autopromoção.

Exemplo: Pensemos, pois, em uma entrevista de emprego.

Diante da equipe de recrutamento, nós somos verdadeiros vendedores. Estamos vendendo nossos conhecimentos, nosso temperamento e nossas habilidades. É preciso, portanto, que saibamos comunicá-los.

Não obstante, esse momento, na verdade, é apenas uma etapa de um longo processo, que começa por reconhecer oportunidades com as quais nos identifiquemos e nos prepararmos para elas.

Em outras palavras, dedicamos muito tempo investindo em formação e qualificação profissional, além de desenvolvermos um padrão de comportamento que seja adequado à situação e, que nos favoreça na concorrência com outros candidatos.

Em síntese, o Marketing Pessoal está em tudo que fazemos.

Quer outro exemplo?

Quando frequentamos um determinado meio, geralmente, adotamos comportamentos bastante apreciados pelas pessoas daquele ambiente em específico.

Isso inclui o modo de vestir, a forma de se expressar e o interesse por coisas que façam parte da realidade daquele grupo.

kim walachai produtora de conteudo

7 Dicas para Melhorar seu Marketing Pessoal

Há algumas dicas que são universais, não importa em qual situação você tenha que promover a sua imagem.

Então, para deixarmos um pouco as teorias e definições, vamos exercitar um pouco a prática?

#1 – Aprecie e Adote seu Próprio Estilo

Seu estilo é sua marca pessoal e distingue você na multidão.

O modo de se vestir, o jeito de falar, o senso de humor e até o seu conteúdo pessoal são itens que compõem o seu estilo. Portanto, foque em ser quem realmente é, e orgulhe-se disso! Mas, não esqueça que para chegar ao topo, é preciso estar em constante evolução!

#2 – Pratique a Autocrítica

Ouça o que dizem as outras pessoas, mas, preste muito mais atenção ao que diz o espelho.

Nesse sentido, essa dica é uma continuidade da anterior. Lembre-se de que teimosia não é estilo nem personalidade.

Você pode e deve mudar se isso for bom para você, afinal, é preciso ter humildade para reconhecer que todos nós somos imperfeitos e podemos sempre melhorar.

#3 – Explore as Oportunidades

Observe como o mundo é vasto, cheio de conhecimento e experiências esperando por você.

Expanda-se! Estude e procure por conhecimento.

O melhor Marketing Pessoal é aquele que você faz o que diz! E quando você consegue falar de vários assuntos diferentes com alguma propriedade, as pessoas, geralmente, se encantam!

#4 – Cause uma Boa Primeira Impressão

Aquele bordão que diz que, “a primeira impressão é a que fica”, é comprovado cientificamente.

Sendo assim, capriche no visual, não precisa cometer excessos, o que pode parecer forçado e surtir efeito contrário. Mas, seja sempre gentil!

#5 – Cumpra com o Prometido e, se possível, Surpreenda

Da mesma forma que você espera que uma empresa ou produto, cumpram suas promessas de venda, cumpra também as suas.

Em tudo que fizer, não decepcione, pelo contrário, surpreenda oferecendo sempre mais do que foi combinado.

#6 – Cuidado com as Redes Sociais

Evite exposição excessiva, pois nas redes sociais tudo pode ser usado para acabar com a sua reputação.

Sem reputação, acabou o Marketing Pessoal. Por isso, é essencial manter seu relacionamento com as redes sociais saudável e, nunca; jamais, abusivo!

#7 – Esforce-se para Melhorar sua Comunicação

Procure observar se sua forma de se expressar é agradável, se você é claro no que diz e se suas conversas atingem os objetivos. Caso não, ouça mais, aprenda a fazer perguntas e a ficar em silêncio em determinados momentos.

Ainda que ligeiras, essas dicas são essenciais e têm ajudado muita gente por aí!

Lembre-se que, investir em Marketing Pessoal é um o primeiro passo para se tornar um grande profissional!

Esse conteúdo te ajudou de alguma forma?

Deixe seu comentário, pois é muito importante para nós!

Além disso, continue acompanhando nossas publicações aqui no blog!

Um forte abraço e sucesso! 

kim walachai produtora de conteudo
kim walachai produtora de conteudo

Mulheres Empreendedoras: Histórias que inspiram

Há muitas transformações pelas quais a nossa sociedade ainda precisa passar. Não obstante, se fizermos uma viagem percorrendo as últimas décadas, teremos a impressão de que, no que diz respeito à forma como o papel da mulher na sociedade é compreendido, viajamos da Idade da Pedra Lascada direto para o Século XXI, e as Mulheres Empreendedoras são um traço dessa evolução.

Empreendedorismo é, acima de tudo, iniciativa.

Se viajarmos apenas cinquenta anos no tempo, veremos que iniciativa era um atributo que “cabia” somente aos homens.

Onde, em grande maioria, à mulher, nada mais que o papel de coadjuvante na sociedade. O homem orgulhava-se de ser engenheiro, médico, empresário… A mulher devia se orgulhar de ser boa mãe e esposa…

Felizmente, esses tempos mudaram. E hoje, mulher é exatamente àquilo que quiser! (ainda há tanto a se fazer, mas, estamos no caminho certo).

Aliás, falando em ser o que se quer ser, vamos à quintessência do empreendedorismo, que é a paixão. Afinal, empreendedoras de sucesso são aquelas que transformam paixão em negócios.

kim walachai produtora de conteudo

Papel de Destaque no Mercado Empreendedor

Em suma, nós mulheres estamos cada vez mais empreendedoras. Tanto que, de acordo com o Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2016, só aqui no Brasil, cerca de 51,5% das pessoas que abrem um novo negócio, são mulheres!

Contudo, ainda somos minoria no que se refere à “empreendimentos consolidados”, visto que, os homens abocanham 57,3% dessa soma.

Mas, boa parte de nós está à frente de micro e pequenas empresas. Tanto que, segundo o Serasa Experian, mais de 98% dos cadastros, são femininos.

Infelizmente, ainda rola muita discriminação e apenas 0,2% das empreendedoras brasileiras são sócias de grandes empresas e multinacionais.

Mulheres Empreendedoras: 3 Histórias que inspiram

Mas, para te mostrar que vale muito à pena se dedicar a abertura do seu próprio negócio, selecionei 3 histórias inspiradoras. Confira:

#1 – Transformando Paixão em Dinheiro

Quer um exemplo de que a paixão é a quintessência do sucesso de um empreendimento?

Pois, temos o caso da designer Ana Paula Dias, que decidiu ganhar a vida fazendo o que mais adora!

Desde pequena, Ana Paula descobriu seu talento para o artesanato. Aos 27 anos, já era dona de um negócio que incluía uma loja online e um ponto físico, com faturamento superior a R$ 5 mil.

“Eu quero continuar fazendo o que amo, porque isso não é trabalho para mim, é prazer. Eu vou dormir feliz todo dia. Mesmo que eu tenha que dormir tarde, eu sempre estou feliz”, falou Ana Paula ao site “Azulis – Vida de Dono”, em Junho de 2019.

Não há dúvida alguma de que, Ana Paula ainda vai prosperar muito, pois trabalhar feliz e com paixão faz com que coloquemos nossa energia em cada coisa que fazemos.

#2 – Seria a maior vendedora do Brasil?

Maria Luiza Trajano se intitula “vendedora”. Começou a trabalhar no varejo aos 12 anos para ter dinheiro para comprar presentes para as pessoas de quem gostava.

Maria Luiza é uma das principais responsáveis por transformar uma loja fundada por sua família, num dos maiores e mais bem sucedidos complexos varejistas do país.

Você já deve ter percebido que estamos falando do Magazine Luiza, não é?

Nesse sentido, fica claro que Maria Luiza seguiu sua vocação, transformando sua paixão em combustível. E hoje inspira aspirantes a empreendedoras de todo país.

#3 – Iniciativa e talento

Você se lembra de que nós falamos em iniciativa?

Sempre pregamos o planejamento como fator de sucesso de um negócio. Nem sempre, no entanto, numa receita de sucesso, o planejamento vem antes da iniciativa.

Maria José de Lima Freitas, a Mazé, depois de um ano desempregada, decidiu explorar seu talento de doceira para tentar sustentar os dois filhos. Bastou unir talento e iniciativa para construir as bases de um negócio milionário.

Com 25 funcionários, a Mazé Doces tem faturamento anual de R$ 1 milhão. Portanto, o começo de tudo pode ser simplesmente colocar a mão na massa.

Qual a Importância das Mulheres Empreendedoras?

Por fim, qual a importância de termos Mulheres Empreendedoras no mundo?

A saber que, mulheres são visionárias e corajosas, e a partir dessa junção, conseguem inovar em diferentes segmentos. E por isso, são fundamentais no mundo dos negócios!

Além disso, essa crescente atuação, serve para empoderar outras mulheres, garantindo que o mundo fique mais igualitário e com diferentes oportunidades de liderança!

E você, já é uma mulher empreendedora ou sonha ser?

Deixe seu comentário e aproveite para compartilhar essas histórias com as mulheres que te inspiram!